Tratamento capilar: Quanto tempo dura?

Tratamento capilar: quanto tempo dura?

Um bom tratamento capilar deve levar em conta inúmeros fatores, como um diagnóstico certeiro do problema em questão, há quanto tempo o paciente apresenta sintomas, a gravidade do quadro, o estilo de vida do paciente e também a disciplina que o mesmo tem ao usar a medicação correta indicada por médicos especialistas. Entretanto, em média, a duração de um tratamento capilar é de três meses, o tempo que o ciclo capilar leva para se renovar, pois nenhum tratamento age na chamada fase telógena, a fase de queda dos cabelos que dura, em média, três meses.

É comum que a publicidade de alguns produtos capilares diga a seus consumidores que a recuperação capilar leva de uma a três semanas, mas isso acontece quando o ciclo capilar já está em renovação espontânea sem nenhum tratamento. Existem diferentes tratamentos para diferentes tipos de problemas capilares.

Tratamento de Beleza

Cotação
Varejista
Consultar Preço
Image
Consultar Preço
Image

Crônico e progressivo

Quando o problema capilar é crônico e progressivo, como, por exemplo, a calvície, o paciente apresenta sintomas de alopecia androgenética. O objetivo do tratamento para esta doença não é a cura, e sim estabilizar ou até mesmo retardar ao máximo o problema. Após alguns meses de tratamento completo é perceptível a melhora e também aumento na quantidade e na espessura dos fios.

Agudos

Existem casos chamados de eflúvio telógeno agudo cujas características são perdas de cabelo em excesso e em poucas semanas, de maneira intensa, que leva o paciente a acreditar que pode ficar careca. Abuso de drogas, estresse e consumo de medicamentos quimioterápicos são algumas das causas. Nestes casos o tratamento é a retirada dessas substâncias do organismo, o chamado fator casual. Após o início do tratamento, o tempo médio para melhora é também de três meses, sendo que o cabelo cresce, em média, de 8 a 12 centímetros por mês.

Crônico persistente, recorrente e curativo

Quando a queda de cabelo acontece por meses seguidos, mas com variantes de intensidade, são casos chamados de eflúvio telógeno crônico, que, muitas vezes, é mais difícil um diagnóstico específico, pois existem inúmeras causas, como metabólicas, nutricionais, hormonais, medicamentosas, entre outras, que causam excesso na perda de cabelos. Por isso é importante consultar com um tricologista experiente e identificar o problema o quando antes, pois assim, o tratamento, que é específico para cada caso, pode ser iniciado o quanto antes. A automedicação pode apresentar reparo num primeiro momento, mas pode causar danos futuros.
crescer cabelo

Crônico persistente ou recorrente

Geralmente, a dermatite apresenta uma melhora de 15 a 30 dias, mas se houve queda em excesso, a melhora também pode chegar a três meses. Não há uma cura definitiva para esse problema, mas tem como controlar os sintomas e o tratamento visa diminuir a frequência e gravidade do problema.

Cura espontânea

A alopecia areata é a doença capilar que mais possui variedade de tempo em relação ao tratamento, pois, quase sempre, apresenta cura espontânea sem nenhum tratamento e são raras as vezes que, por meio de medicação sistêmica, apresentem um resultado completo por meio de tratamento medicamentoso.

Crônico

A lesão das células-tronco do folículo piloso resulta numa doença capilar chamada alopecias cicatricias, que apresenta um quadro irreversível ao tratamento, cujo objetivo é apenas estabilizar a evolução da doença. Qualquer suspeita sobre doenças capilares é importante que um médico especialista seja procurado o quanto antes, pois começar o tratamento na fase inicial dessa ou de qualquer outra tende a ser mais promissor.